Antibiótico Sistêmico Simples

Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. Registro M.S.: 1.5423.0167.

Indicação: Tratamento de infecções causadas por bactérias sensíveis à azitromicina; em infecções do trato respiratório inferior (incluindo bronquite e pneumonia) e superior, incluindo sinusite, faringite ou amigdalite; infecções da pele e tecidos moles; em otite média aguda e nas doenças sexualmente transmissíveis não complicadas ou devido à clamídia e gonorreia. É também indicada no tratamento de cancro devido a bactéria Haemophilus ducreyi. Infecções que ocorrem junto com sífilis devem ser excluídas.

Apresentação:
500mg – cx. c/ 03 comp. rev.

Caixa de embarque: cx. padrão c/ 60 und.

Contraindicação: casos de hipersensibilidade à azitromicina, eritromicina, antibiótico macrolídeo e cetolídeo ou a qualquer componente da fórmula. Cuidados e Advertências: Raramente relatou-se reações alérgicas graves incluindo angioedema e anafilaxia. Uma vez que a principal via de eliminação da azitromicina é o fígado, deve ser utilizada com cautela em pacientes com disfunção hepática significativa. Devido a possibilidade teórica de ergotismo, azitromicina e derivados do ergô não devem ser coadministrados. Foi relatada diarreia associada a Clostridium difficile com a maioria dos agentes antibacterianos, incluindo azitromicina, que pode variar de diarreia leve a colite fatal. Houve relatos de diarreia associada a C. difficile até 2 meses após a administração de agentes antibacterianos.
Nestes casos é necessário cuidado médico. Em pacientes com insuficiência renal grave (taxa de filtração glomerular < 10mL/min) foi observado um aumento de 33% na exposição sistêmica a azitromicina. Um efeito similar com azitromicina não pode ser completamente excluído em pacientes sob risco aumentado de repolarização cardíaca prolongada. Uso Durante a Gravidez e Lactação: Não existem estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas. Só deve ser usada durante a gravidez se houver clara necessidade. A azitromicina não deve ser usada no tratamento de lactantes a não ser que o médico julgue que o potencial benefício para a mãe justifique os riscos potenciais para a criança. A azitromicina é um medicamento classificado na categoria B de risco na gravidez.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Reações Adversas e Interações medicamentosas: A azitromicina di-hidratada é bem tolerada, apresentando baixa incidência de efeitos colaterais. Geral: foi relatado astenia (fraqueza), embora a relação causal não tenha sido estabelecida, cansaço, mal-estar. Não deve administrar azitromicina com: Antiácidos; Digoxina (possibilidade de um aumento nos níveis de digoxina no sangue); Zidovudina (aumenta a zidovudina fosforilada nas células mononucleares do sangue periférico); Ergô (possibilidade teórica de ergotismo); Anticoagulantes orais do tipo cumarínicos (deve monitorar a capacidade de coagulação do paciente); Ciclosporina (a quantidade de ciclosporina no sangue deve ser monitorada e a dose deve ser ajustada adequadamente). Não há necessidade de ajuste de dose quando azitromicina for utilizada com os seguintes fármacos: cetirizina, didanosina, atorvastatina, carbamazepina, cimetidina, efavirenz, fluconazol, indinavir, metilprednisolona, midazolam, nelfinavir, rifabutina, sildenafila, terfenadina, teofilina, triazolam, trimetoprima/sulfametoxazol.Posologia: Uso em Adultos: Tratamento de doenças sexualmente transmissíveis causadas por Chlamydia trachomatis, Haemophilus ducreyi ou Neisseria gonorrhoeae suscetível – 1000mg em dose oral única. Para todas as outras indicações nas quais é utilizada a formulação oral, uma dose total de 1500mg deve ser administrada em doses diárias de 500mg, durante 3 dias. Como alternativa, a mesma
dose total pode ser administrada durante 5 dias, em dose única de 500mg no primeiro dia e 250mg, 1 vez ao dia, do segundo ao quinto dia. Uso em Crianças: A dose máxima total recomendada para qualquer tratamento em crianças é de 1500mg. Em geral, a dose total em crianças é de 30mg/Kg. Faringite estreptocócica pediátrica – a dose total de 30mg/Kg deve ser administrada em dose única diária de 10 mg/kg, durante 3 dias, ou a mesma dose total pode ser administrada durante 5 dias, em dose única de 10mg/Kg no primeiro dia e 5mg/Kg, 1 vez ao dia, do segundo ao quinto dia. Otite média aguda – dose única de 30mg/Kg. Porém, a erradicação bacteriológica foi maior e mais evidente com a dose de 20mg/Kg/dia. Uso em Pacientes Idosos: A mesma dose utilizada em pacientes adultos pode ser utilizada em pacientes idosos. Uso em Pacientes com Insuficiência Renal: Não é necessário ajuste de dose em pacientes com insuficiência renal leve a moderada (taxa de filtração glomerular 10 – 80 mL/min). No caso de insuficiência renal grave (taxa de filtração glomerular < 10 mL/min) azitromicina deve ser administrada com cautela.