Antiglaucomatoso

Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. Registro M.S.: 1.5423.0211.

Indicação: É indicada para a redução da pressão intraocular elevada (PIO) em pacientes com glaucoma de ângulo aberto, glaucoma de ângulo fechado em pacientes submetidos previamente a iridotomia e hipertensão ocular.

Apresentações:
Solução oftálmica estéril – 0,3mg/mL frasco gotejador com 3ml
Solução oftálmica estéril – 0,3mg/mL frasco gotejador com 5ml

Caixa de embarque: cx. padrão c/ 24 und.

Contraindicações: É contraindicada em pacientes com hipersensibilidade a bimatoprosta ou qualquer um dos componentes da fórmula do produto.Cuidados e advertências: Medicamento de uso exclusivamente tópico ocular. Para não contaminar o colírio, evite o contato do conta gotas com qualquer superfície. Não permita que a ponta do frasco entre em contato direto com os olhos. Foram relatados alterações de pigmentos dos tecidos, aumento gradativo do crescimento dos cílios em comprimento e espessura, escurecimento da pele ao redor dos olhos e da cor dos olhos com a utilização da solução oftálmica de bimatoprosta. Pacientes que receberem o tratamento de bimatoprosta devem ser alertados dessas alterações e de que as mesmas podem ser permanentes. Deve ser usada com cautela em pacientes com inflamação intraocular aguda (como por exemplo, uveíte) pois a inflamação pode ser agravada e em pacientes afácicos, em pacientes pseudoafácicos com cápsula posterior do cristalino lacerada, ou em pacientes com fatores de risco conhecidos para edema macular (por exemplo, cirurgia intraocular, oclusão de veia da retina, doença inflamatória ocular e retinopatia diabética).A bimatoprosta apenas deve ser utilizada em gestantes se os potenciais benefícios para a mãe justificarem os potenciais riscos para o feto. Recomenda-se cautela na administração do medicamento durante a lactação. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.O uso de bimatoprosta não é recomendado em crianças e adolescentes. A bimatoprosta não deve ser aplicada durante o uso de lentes de contato gelatinosas ou hidrofílicas, pois o cloreto de benzalcônio presente na fórmula pode ser absorvido pelas lentes. Por este motivo, os pacientes devem ser instruídos a retirar as lentes antes da aplicação do colírio e aguardar pelo menos 15 minutos para recolocá-las após a administração de bimatoprosta. Caso ocorra leve borramento de visão logo após a aplicação do colírio, recomenda-se aguardar até que a visão retorne ao normal antes de dirigir veículos ou operar máquinas. Reações adversas e interações: Reação muito comum: hiperemia conjuntival, hiperemia dos olhos, crescimento dos cílios e prurido nos olhos; Reação comum: secura ocular, ardor ocular, sensação de corpo estranho nos olhos, dor ocular, distúrbios visuais, visão borrada, escurecimento da pálpebra, alteração da cor dos cílios, irritação ocular, secreção ocular, eritema palpebral, ceratite puntacta, blefarite, fotofobia, conjuntivite alérgica, aumento do lacrimejamento, aumento da pigmentação da íris, astenopia, prurido palpebral e hiperpigmentação da pele; Reação incomum: irite e hirsutismo; Outras reações: aprofundamento do sulco palpebral (enoftamilte), eritema (periorbital), edema palpebral, edema macular, crescimento anormal de pelos, náusea, tontura, dor de cabeça, hipertensão.Não são previstas interações entre a bimatoprosta e outros medicamentos.Posologia: A dose usual é de 1 gota aplicada no(s) olho(s) afetado(s), uma vez ao dia (de preferência à noite). A dose não deve exceder a uma dose única diária, pois foi demonstrado que a administração mais frequente pode diminuir o efeito do medicamento sobre a pressão intraocular elevada. Para evitar contaminação, não encostar a ponta do frasco nos olhos, nos dedos e nem em outra superfície qualquer.