Broncodilatador / Mucolítico / Expectorante

Princípio Ativo: acebrofilina

Registro M.S.: 1.5423.0116.

Indicação: Broncodilatador, mucolítico e expectorante. Tratamento sintomático e preventivo das patologias agudas e crônicas do aparelho respiratório caracterizadas por fenômenos de hipersecreção e broncoespasmo, tais como bronquite obstrutiva ou asmatiforme, asma brônquica, traqueobronquite, broncopneumonias, broncoquiectasias, pneumoconioses, rinofaringites, laringo-traqueítes e enfisema pulmonar.

Apresentações:
Xarope adulto 10mg/mL frasco c/120mL + copo dosador
Xarope pediátrico 5mg/mL frasco c/120mL + copo dosador

Caixa de embarque: cx. padrão c/ 24 und.

Contraindicações: Hipersensibilidade à acebrofilina ou a outras xantinas, como aminofilina e teofilina, assim como o ambroxol. Cuidados e advertências: Não deve ser utilizado em pacientes portadores de doenças hepáticas, renais ou cardiovasculares graves, úlcera péptica ativa e história pregressa de convulsões. É aconselhável evitar o seu uso durante primeiro trimestre de gravidez. Deve-se ter cautela ao empregar acebrofilina em pacientes hipertensos, cardiopatias, com hipoxemia severa. Apresenta em sua formulação sorbitol, portanto, não deve ser utilizado em diabético que façam uso de insulina ou hipoglicemiantes orais. Não deve ser utilizado em crianças menores de 2 anos. Reações adversas e interações: A incidência de reações adversas foi considerada baixa, sendo as mais importantes náuseas, vômitos, taquicarida e tremores, diarreia, dor abdominal e epigástrica. Outras reações como boca seca, agitação, sonolência, insônia, transpiração, palidez, extremidades frias, erupções de pele e outras reações alérgicas foram relatadas em uma incidência inferior a 0,4%. A carbamazepina, assim como o fenobarbital, a fenitoína e os sais de lítio podem levar a uma redução da efetividade da teofilina por aumentarem a sua metabolização hepática. A administração concomitante de antibióticos macrolídeos, algumas quinolonas como norfloxacino e ciprofloxacino, anti-histamínicos H2, alopurinol, diltiazem e ipriflavona podem retardar a eliminação da teofilina, aumentando o risco de intoxicação pela mesma. Alguns pacientes podem mostrar um declínio significativo nos níveis séricos da teofilina se salbutamol ou isoprenalina forem administrados oralmente. Os níveis séricos da teofilina podem apresentar algum aumento em mulheres tomando contraceptivos orais, embora nenhuma toxicidade tenha sido relatada. O uso concomitante da teofilina com alfaadrenérgicos como a efedrina, pode levar a um aumento das reações adversas, principalmente relacionadas com o sistema nervoso central e gastrintestinais. Produtos a base de Hypericum perforatum podem levar a uma redução da eficácia da teofilina. Posologia: Adultos (10mg/mL) – 10mL a cada 12 horas. Crianças (5mg/mL) – 6 a 12 anos: 10mL a cada 12 horas; 3 a 6 anos: 5mL a cada 12 horas; 2 a 3 anos: 2mg/kg de peso/dia dividido em duas tomadas a cada 12 horas.