Analgésico / Anti-inflamatório / Relaxante muscular

Princípio Ativo: paracetamol + carisoprodol + diclofenaco sódico + cafeína

Registro M.S.: 1.5423.0027. 

Indicação: Tratamento de reumatismo nas suas formas inflamatório-degenerativas agudas e crônicas; crises agudas de gota, estados inflamatórios agudos, pós-traumáticos e pós-cirúrgicos. Exacerbações agudas de artrite reumatoide e osteoartrose e estados agudos de reumatismo nos tecidos extrarticulares.

Apresentações:
300mg + 125mg + 50mg + 30mg – cx. c/ 30 comp.
300mg + 125mg + 50mg + 30mg – cx. c/ 15 comp.
300mg + 125mg + 50mg + 30mg – cx. c/ 100 comp. (25×4)
300mg + 125mg + 50mg + 30mg – cx. c/ 100 comp. (10×10)

Caixa de embarque:
cx. padrão c/ 60 und.
(25×4) cx. padrão c/ 12 und.

Contraindicações: Hipersensibilidade a quaisquer dos componentes da fórmula; casos de úlcera péptica em atividade; discrasias sanguíneas; diáteses hemorrágicas; pacientes asmáticos nos quais são precipitados acessos de asma, urticária ou rinite aguda pelo ácido acetilsalicílico e demais inibidores da via ciclo-oxigenase da síntese de prostaglandinas. Cuidados e advertências: Não é recomendado em pacientes abaixo de 14 anos. A possibilidade de reativação de úlceras pépticas requer anamnese cuidadosa quando houver história pregressa de dispepsia, hemorragia gastrintestinal ou úlcera péptica. Por períodos de uso superiores a dez dias, deverão ser realizados hemograma e provas de função hepática antes do início do tratamento e periodicamente. Em pacientes portadores de doenças cardiovasculares, a possibilidade de ocorrer retenção de sódio e edema deverá ser considerada. Observandose reações alérgicas pruriginosas ou eritematosas, febre, icterícia, cianose ou sangue nas fezes, a medicação deverá ser imediatamente suspensa. Desaconselha-se o uso durante a gravidez e lactação. Reações adversas e interações: Alguns distúrbios gastrintestinais podem ocorrer como dispepsia, dor epigástrica, recorrência de úlcera péptica, náuseas, vômitos e diarreia. Ocasionalmente podem ocorrer cefaleia, sonolência, confusão mental, tonturas, distúrbios da visão, edema por retenção de eletrólitos, hepatite, pancreatite, nefrite intersticial. Foram relatados casos de reações anafilactoides urticariformes ou asmatiformes, bem como Síndrome de Stevens-Johnson e Síndrome de Lyell; além de leucopenia, trombocitopenia, pancitopenia, agranulocitose e anemia aplástica. O uso prolongado pode provocar necrose papilar renal. O diclofenaco sódico pode elevar a concentração plasmática de lítio ou digoxina, quando administrados concomitantemente. A administração concomitante de glicocorticoides e outros agentes anti-inflamatórios não-esteroides pode levar ao agravamento de reações adversas gastrintestinais. A biodisponibilidade é alterada pelo ácido acetilsalicílico quando este composto é administrado concomitantemente. Recomenda-se a realização de exames laboratoriais periódicos quando anticoagulantes forem administrados conjuntamente, para aferir se o efeito anticoagulante desejado está sendo mantido. Pacientes em tratamento com metotrexato devem abster-se do uso de Flexalgin nas 24 horas que antecedem ou que sucedem sua ingestão, uma vez que a concentração sérica pode elevar-se, aumentando a toxicidade deste quimioterápico. Posologia: Um comprimido a cada 12 horas. A duração do tratamento não deverá ultrapassar 10 dias. Tratamentos mais prolongados requerem observações especiais.