Glicocorticoides Tópicos – Associação Medicamentosa

Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. Registro M.S. nº.: 1.5423.0164

Indicação: Otite externa e outras condições inflamatórias que respondem à corticoterapia onde infecção bacteriana esteja presente ou suspeitada.

Apresentação:
Solução otológica 0,250mg/mL + 10.000UI + 3,50mg/mL + 20mg/mL frasco c/ 10mL

Caixa de embarque: cx. padrão c/ 60 und.

Contraindicações: Infecções do ouvido, micótica ou virais, não tratadas. Herpes simples, vacina e varicela. Hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula, e nas perfurações timpânicas. Cuidados e Advertências: O uso prolongado de corticosteroides tópicos pode produzir atrofia da pele e tecidos subcutâneos. Os
glicocorticoides podem mascarar alguns sinais de infecção e novas infecções podem aparecer durante o seu uso. Não é recomendado no primeiro trimestre da gravidez. Se for usado no segundo trimestre deve-se avaliar os benefícios esperados frente os perigos potenciais ao feto. O uso prolongado pode resultar em crescimento excessivo de bactérias e fungos não-susceptíveis. Uma vez que não se tem observado atividade sistêmica com as doses terapêuticas do medicamento deve-se tomar cuidado ao transferir paciente sob corticoterapia sistêmica para fluocinolona acetonida + sulfato de polimixina B + sulfato de neomicina + cloridrato de lidocaína solução otológica se houver uma suspeita de função adrenal prejudicada. A administração de corticosteroides tópicos à criança deve-se restringir a um curto período de tempo e à menor quantidade possível do produto, compatível com um regime terapêutico eficaz. Podem ocorrer reações cruzadas alérgicas as quais poderão impedir o uso futuro de kanamicina, paranomicina e estreptomicina. Esta preparação NÃO se destina a uso oftálmico. Gravidez e lactação: Categoria de gestação C: Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Não é recomendado o uso do produto no primeiro trimestre da gravidez e no segundo trimestre deve-se avaliar os benefícios frente aos riscos que podem advir ao feto. Reações Adversas e Interações medicamentosas: Reações adversas: Sistema imune: hipersensibilidade. Sistema nervoso central: Tontura, cefaleia, tremor, hipersônia, paralisia facial, sensação de queimação, disgeusia, parestesia, sonolência. Alterações visuais: Irritação dos olhos, vermelhidão nos olhos, lacrimejamento, edema palpebral. Distúrbios auditivos e vestibulares: Dor no ouvido, zumbido no ouvido, diminuição da audição, distúrbios auditivos e desconforto auditivo. Pele e anexos: Prurido, alterações na pele, alterações de pigmentação, dor no local de aplicação, dermatite acneiforme, rash, eritema, nódulos na pele, sensação de ardor, coceira, irritação, secura, foliculite, hipertricose, dermatite alérgica de contato, infecção secundária e atrofia da pele. Distúrbios cardiocirculatórios: palidez, hiperemia, hipertensão arterial. Distúrbios respiratórios: hipoestesia faringeal, dispnéia, desconforto nasal, dor faríngea. Distúrbios gastrintestinais: vômito, diarreia, náusea, hipoestesia oral, discinesia, disfagia, dor abdominal, hematoquezia, dor epigástrica e no quadrante superior do abdômen correspondendo a região do fígado. Mal formações congênitas, genéticas ou familiares: dimorfismo facial. Têm sido relatadas ototoxicidade e nefrotoxicidade com o uso tópico de neomicina. Informe ao médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis. Interações Medicamentosas: Os componentes da solução otológica – polimixina B, o sulfato de neomicina e o cloridrato de lidocaína – podem apresentar interações com diversos medicamentos conforme descrito abaixo: – Fluocinolona acetonida: não há interações medicamentosas conhecidas e relevantes. – Polimixina B: bloqueadores neuromusculares como alcuronium, pancuronium e tubocurarina; antibióticos como amicacina, penicilina G, ampicilina e cefalosporinas; antifúngicos como a anfotericina B; prednisona; ranitidina e também vitaminas do complexo B e vitamina C. – Sulfato de neomicina: bloqueadores neuromusculares como alcuronium, pipecuronium; antibióticos como amoxacilina, ampicilina, penicilina G, diuréticos como a furosemida; digoxina; anticoagulantes como a varfarina e dicumarol; quinolonas como a floxacina e antineoplásicos como o metotrexate. – Cloridrato de lidocaína: broncodilatadores como aminofilina; antiarrítmicos como amiodarona; antibióticos como ampicilina, cefalosporinas, gentamicina; antifúngicos como a anfotericina B; digoxina; betabloqueadores como o labetolol e sulfas entre outros. Entretanto tais interações são mínimas, dada a baixa concentração dos componentes e a via de administração. No último relatório de segurança, no período de janeiro de 2001 a dezembro de 2004 não foram relatadas interações medicamentosas. Posologia: Dose inicial usual: Três ou quatro gotas instiladas no ouvido 2 a 4 vezes ao dia.