Anti-hipertensivo

Princípio Ativo: maleato de enalapril

Registro M.S nº.: 1.5423.0025.

Indicação: Todos os graus de hipertensão essencial; hipertensão renovascular; todos os graus de insuficiência cardíaca; aumentar a sobrevida, reduzir a hospitalização e retardar a progressão da insuficiência cardíaca; prevenção de insuficiência cardíaca sintomática; prevenção de eventos isquêmicos coronarianos em pacientes com disfunção ventricular esquerda.

Apresentações:
10mg – cx. c/ 30 comp.
*20mg – cx. c/ 30 comp.

Caixa de embarque: cx. padrão c/ 60 und.

*Concentração não contemplada no programa Farmácia Popular.

Contraindicações: Hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula, história de edema angioneurótico relacionado a tratamento prévio com inibidores de enzima conversora de angiotensina. Cuidados e advertências: Hipotensão sintomática foi observada raramente em hipertensos sem complicações. A queda excessiva da pressão arterial em pacientes com doença isquêmica cardíaca ou cerebrovascular poderia resultar em infarto ou acidente vascular cerebral. Pacientes com insuficiência renal podem requerer doses reduzidas e/ou menos frequentes. Em alguns pacientes com estenose da artéria renal bilateral ou estenose da artéria renal de rim único, aumentos dos níveis séricos de ureia e creatinina, reversíveis com a interrupção da terapia, tem sido observados. Alguns pacientes sem lesão renal preexistente aparente desenvolveram aumentos geralmente discretos e transitórios da ureia e creatinina sanguíneas, concomitantemente com um diurético. Edema angioneurótico de face, extremidades, lábios, língua, glote e/ou laringe foi relatado raramente. Nos casos de edema localizado de face e lábios, geralmente há regressão do quadro sem tratamento, embora os anti-histamínicos possam ser úteis para alívio dos sintomas. Raramente, pacientes que estão recebendo inibidores da ECA durante dessensibilização com veneno de himenóptera sofreram reações anafilactoides com risco de vida. Tem sido relatada a ocorrência de reações anafilactoides em pacientes submetidos à diálise com membranas de alto fluxo e tratados concomitantemente com um inibidor da ECA. Foi relatada tosse com o uso dos inibidores da ECA. Em pacientes submetidos a cirurgias de grande porte ou sob anestesia com agentes que produzem hipotensão, o enalapril bloqueia a formação de angiotensina II, secundária à liberação compensatória da renina. Reações adversas e interações: Tonturas e cefaleias foram os efeitos adversos mais comumente relatados. Fadiga e astenia também foram reportadas. Outros efeitos adversos ocorreram em menos de 2% dos casos e incluíram hipotensão, hipotensão ortostática, síncope, náuseas, diarreia, cãibras musculares, erupção cutânea e tosse. Menos frequentemente, disfunção renal, insuficiência renal e oligúria foram relatadas. Edema angioneurótico de face, extremidades, lábios, língua, glote e/ou laringe foram relatados raramente. Reações adversas que ocorreram muito raramente incluem infarto do miocárdio ou acidente vascular cerebral, dor torácica, distúrbios do ritmo cardíaco, palpitações, angina pectoris, íleo paralítico, pancreatite, insuficiência hepática, hepatite; icterícia, vômitos, constipação, estomatite, pancreatite, dor abdominal, dispepsia, anorexia; depressão, confusão mental, sonolência, insônia, nervosismo, parestesia, vertigem; infiltrados pulmonares, broncoespasmo/asma, dispnéia, rinorreia, dor de garganta e rouquidão; eritema multiforme, dermatite esfoliativa, síndrome de Stevens-Johnson, necrólise epidérmica tóxica, diaforese, pênfigo, prurido, urticária, alopecia; impotência, alteração do paladar, visão embaçada, glossite, rubor facial, zumbido. Foi relatado um complexo sintomático, que pode incluir febre, serosite, vasculite, mialgia/miosite e artralgia/artrite, fator antinúcleo positivo, VHS elevada, eosinofilia e leucocitose. Erupção cutânea, fotossensibilidade ou outras manifestações dermatológicas
podem ocorrer. Efeito aditivo pode ocorrer quando Pryltec for usado com outra terapia anti-hipertensiva. Em estudos clínicos, o potássio sérico geralmente permaneceu dentro dos limites da normalidade. Em pacientes hipertensos tratados com Pryltec isoladamente por até 48 semanas, foram observados aumentos médios de 0,2 mEq/L no potássio sérico. Nos pacientes tratados com Pryltec mais um diurético tiazídico, o efeito espoliador de potássio do diurético foi, em geral, atenuado pelo efeito do enalapril. Se Pryltec for dado com um diurético espoliador de potássio, a hipocalemia induzida por este pode ser atenuada. Assim como ocorre com outras drogas que eliminam sódio, a depuração do lítio pode ser reduzida. A biodisponibilidade do maleato de enalapril não é afetada quando ingerido concomitantemente com alimentos. Posologia: Dose inicial de 10 a 20mg, uma vez ao dia, para hipertensão essencial; 10mg ao dia para hipertensão leve e 20mg ao dia para outros graus de hipertensão. Posologia de um comprimido ao dia para manutenção, sendo ajustada de acordo com a necessidade até o máximo de 40mg ao dia. Dose inicial de 5mg ou menos para hipertensão renovascular. Caso não seja possível descontinuar a terapia diurética, a dose inicial deve ser de 5mg ou menos. Dose inicial de 2,5mg nos casos de insuficiência cardíaca sintomática ou disfunção ventricular esquerda assintomática.