Antiglaucomatoso

Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. Registro M.S.: 1.5423.0209

Indicação: É indicado para a redução da pressão intraocular em pacientes com glaucoma de ângulo aberto, glaucoma de ângulo fechado em pacientes submetidos previamente a iridotomia e hipertensão ocular.

Apresentação:
Solução oftálmica estéril – 0,04mg/mL – frasco gotejador c/ 2,5mL

Caixa de embarque: cx. padrão c/ 24 und.

Contraindicações: Contraindicado para pessoas que tenham sensibilidade conhecida a travoprosta, ou a qualquer componente da fórmula. Gravidez: Categoria C: Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista. Este medicamento é contraindicado para menores de 18 anos de idade. Cuidados e advertências: Foi relatado que a travoprosta causa alterações nos tecidos pigmentados. As alterações relatadas com maior frequência foram aumento na pigmentação da íris e tecido periorbital (pálpebra) e aumento na pigmentação e crescimento de cílios. Estas alterações podem ser permanentes. A travoprosta deve ser usada com precaução em pacientes com história de inflamação intraocular (irite/uveíte) e não deve ser usado em paciente com inflamação intraocular ativa. Edema macular, incluindo edema macular cistoide, tem sido relatado com análogos da prostaglandina F2a. Estes relatos ocorreram principalmente em pacientes afácicos, pseudofácicos com ruptura de cápsula posterior ou em pacientes com fatores de risco conhecidos para edema macular. A travoprosta deve ser usada com precaução nestes pacientes. Reações adversas e Interações: O evento adverso ocular mais comum que foi observado em estudos clínicos controlados com a travoprosta foi hiperemia, relatada em 35 a 50 % dos pacientes. Aproximadamente 3% dos pacientes interromperam a terapia devido à hiperemia conjuntival. Os eventos adversos oculares relatados com incidência de 5 a 10 % incluíram diminuição da acuidade visual, desconforto ocular, sensação de corpo estranho, dor e prurido. Os eventos adversos oculares relatados com incidência de 1 a 4% incluíram visão anormal, blefarite, visão borrada, catarata, conjuntivite, olho seco, distúrbio ocular, “flare”, alteração de cor da íris, ceratite, crosta na borda da pálpebra, fotofobia, hemorragia subconjuntival e lacrimejamento. Os eventos adversos não oculares relatados com incidência de 1 a 5 % foram: lesão acidental, angina de peito, ansiedade, artrite, dor nas costas, bradicardia, bronquite, dor no peito, síndrome do resfriado, depressão, dispepsia, distúrbio gastrintestinal, dor de cabeça, hipercolesterolemia, hipertensão, hipotensão, infecção, dor, distúrbios da próstata, sinusite, incontinência urinária e infecção do trato urinário.Não foram descritas interações medicamentosas. Posologia: Pingue uma gota no(s) olho(s) afetado(s) uma vez por dia à noite. Não pingue mais de uma vez por dia, pois o uso com maior frequência pode diminuir o efeito de redução da pressão intraocular.